Newbasca

Conecta Food Digital - Canais Digitais e Oportunidades para o Foodservice

Claudia Campos
Redatora | Newbasca

Evento Conecta food digital

Começamos o mês de julho com um encontro de gigantes do foodservice aqui na Newbasca!

Na terça-feira, no dia 05 de Julho, realizamos o Conecta Food Digital, em parceria com a Diretto Importação e Distribuição. Recebemos em nosso Estúdio NB grandes referências no foodservice: Antonio Celso Avelino, CEO da Bidfood Brasil, e Marcelle Caneppa, Gerente de E-Business da Unilever Food Solutions.

Durante o bate-papo, os profissionais falaram sobre as vantagens e os benefícios que os canais de vendas digitais podem oferecer para operadores de negócios que atuam no segmento de alimentação fora do lar.

On-line e gratuito, o evento foi apresentado por Ana Vaz, do Food Business Development, e José Roberto Rodrigues, CEO da Newbasca. Também estiveram no Estúdio NB para acompanhar o Conecta Food Digital, Antonio Marcos dos Santos, Diretor de Trade Marketing do Grupo Pereira, Cristiane Shimura, Gerente de Vendas Foodservice na Sakura Nakaya Alimentos Ltda, Thiago Theodoro, Gerente Nacional de Vendas e Trade Marketing na Cargill e entre outros.

Maturidade Digital do Foodservice

Segundo dados do Instituto Foodservice Brasil – IFB, o mercado ainda tem pouca maturidade digital, sendo considerado, majoritariamente, como Iniciante e Conservador:

  • 65% tem pouca capacidade digital e são limitados em aplicações tradicionais.

  • 20% privilegiam segurança em vez de inovação e fazem investimentos seletivos, mas consistentes em tecnologia e mídias digitais.

Comparando esses dados com o crescimento do setor, que é de 75% no comparativo anual, fica claro que os players do foodservice precisam abraçar a inovação e compreender que transformação digital vai muito além das vendas on-line. Ela trata da união de pessoas, processos e produtos e serviços.

Na pandemia, vimos uma digitalização acelerada de outros setores, principalmente no B2C, mas o B2B ainda está devagar. Por isso, é tão importante um evento como este. Para que distribuidor, indústria e parceiros possam unir forças com o objetivo de apoiar o operador. Quando 65% do mercado ainda está num estágio inicial de investimento em soluções digitais, precisamos apoiar essa transformação”, diz Marcelle Caneppa, Gerente de E-Business da Unilever Food Solutions.

O mercado ainda está evoluindo. Na Bidfood, que atende grande parte do estado de São Paulo, apenas 20% das vendas são feitas pela plataforma on-line. É um bom número se considerarmos que o projeto digital começou há dois anos, mas sabemos que ainda há espaço para crescer. Se grande parte da receita dos operadores, hoje, vem justamente dos aplicativos de delivery, por que não comprar os insumos do negócio pelas plataformas digitais, com mais praticidade, conforto e segurança? ”, afirma Antonio Celso Avelino, CEO da Bidfood Brasil.

Logística: um dos Grandes Desafios do Foodservice

Para lidar com esse desafio, Marcelle diz que é fundamental ter automação na operação, para que o comprador possa acompanhar o status de entrega do produto. “Hoje, 68% dos clientes da Compra Food Service já compram pela plataforma digital. A gente se preocupa muito com o nosso NPS (Net Promoter Score) e, quanto à logística, temos um hub que nos apoia para reduzir o tempo de entrega”.

Antonio Celso acredita que se você quer oferecer um bom serviço, tudo começa com a logística, a qualidade da entrega, a temperatura correta dos produtos, cumprir os prazos e horários. E a plataforma digital oferece essa facilidade: o cliente consegue acompanhar onde está o caminhão e o horário que a mercadoria vai chegar.

Vantagens de Comprar pelas Plataformas Digitais

Quando o operador usa as plataformas digitais para comprar os insumos do seu negócio, ele economiza tempo e energia. No dia a dia, isso possibilita que ele tenha mais tempo para focar na estratégia do negócio: aprimorar o serviço oferecido aos clientes e investir em ações de marketing digital e na gestão contábil e financeira.

Outra vantagem das plataformas on-line é que elas não oferecem apenas um mix de produtos de qualidade, mas também suportam o operador com soluções completas e integradas que agregam valor ao negócio: apoio à gestão da operação, formas de pagamento diferenciadas, receitas, conteúdos sobre eficiência na cozinha, etc.

Falando em serviços adicionais, a Bidfood Brasil criou o Bidfood Bank, um banco digital que dá crédito ao operador através dos recebíveis da máquina de cartão de crédito – que podem ser transformados em crédito para a reposição de estoque –, além de oferecer um programa de capital de giro para a retomada de crescimento do negócio.

Cultura data-driven e proposta de valor customizada

Os participantes do Conecta Food Digital também ressaltam a importância da cultura data-driven, ou orientada a dados, cujo principal objetivo é tratar esse universo de dados, filtrar elementos úteis para a estratégia e, então, transformá-los em informação relevante para as tomadas de decisão e projetos do negócio.

E não se trata apenas de automatizar os processos, mas sim de promover uma mudança de mindset, buscando entender quais são as reais necessidades e dores do operador. O objetivo, aqui, é utilizar todos os canais disponíveis para ouvir o operador e oferecer uma proposta de valor cada vez mais customizada.

Se você não conseguiu acompanhar o evento ao vivo, pode assistir em nosso canal no YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=W-2ajwvGcRw

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.