Newbasca

Pesquisa da gs1 atesta crescimento do nível de confiança dos empresários.

Marcus Frediani
Editor Chefe | Newbasca

Estudo da Associação Brasileira de Automação demonstra que a indústria de transformação busca reação e aumenta a intenção em lançar produtos.
O Índice GS1 Brasil de Atividade Industrial para o mês de maio mostra crescimento de 8,0% na comparação com o mês anterior no dado livre de efeitos sazonais. Comparado ao mesmo mês do ano anterior, o índice apresenta aumento de 33,5%. No acumulado de 12 meses o índice apresenta crescimento de 8,9%.
“O crescimento observado no Índice GS1 de Atividade Industrial nos cinco primeiros meses do ano confirma a recuperação com relação ao ano passado”, analisa Virginia Vaamonde, CEO da Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil. “A intenção de lançamento de produtos neste ritmo mostra a confiança da indústria brasileira em uma retomada da economia para 2021”, complementa a executiva.

APETITE POR LANÇAMENTOS

A confiança para fazer lançamentos, como se sabe, é como um coelho assustado. Coloca o focinho para fora da toca, mas, ao menor ruído estranho no bosque, corre para dentro de novo. E esse é um movimento muito volátil e constante de vai-e-volta. Mas alguns setores, segundo Virginia, vêm apresentando graus de resiliência exemplares, como é o caso do de alimentos, bebidas e mesmo o têxtil, que passou por alguns apuros em 2020.

De certa forma, a dinâmica da pesquisa da GS1 parece “rimar” com as perspectivas de retomada econômica do Brasil em um futuro próximo. Contudo, o país não deve passar ileso às velhas questões de rebote. Por exemplo, no último dia de maio, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) projetou que, em ritmo de restauração, o PIB brasileiro deverá crescer 3,7% em 2021 e 2,5% em 2022, impulsionado pela recuperação do consumo das famílias e da volta dos investimentos. Porém, em compasso de dar uma martelada no prego e outra na ferradura, em relatório sobre perspectivas econômicas, a mesma OCDE prevê o “preço” a pagar por essa evolução: a inflação ao consumidor avançará a 6,2% este ano, antes de desacelerar a 4% no próximo.

Nesse cenário, a tecnologia desempenha grande influência para promover mais acertos do que erros. E é por isso que mesmo em tempos de pandemia, a busca por inovação, mais do que palavras bonitas, representa conceito e prioridade recorrentes na indústria. E a boa notícia é que os empresários não só estão cientes disso, como também estão se mexendo para acelerar o investimento em automação para aprimorar seus processos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.